E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

8 Perguntas que você deve fazer antes de pedir demissão

09/10/2018 Por: Editorial Dom Bosco
 pedir demissão

“Atire a primeira pedra” quem nunca se questionou em abandonar o atual emprego? Seja para começar algo novo ou se dedicar mais a vida pessoal, quem está ativo no mercado de trabalho, está sujeito a lidar com a dúvida. Mas, para não tomar nenhuma decisão precipitada, você deve fazer algumas perguntas antes de pedir demissão, que vão te ajudar a fazer a escolha correta.


Primeira etapa: sinais para pedir a demissão


Vou trabalhar feliz?

Acordar cedo, ter de deixar o conforto de sua casa, enfrentar trânsito e diversos outros acontecimentos que mexem negativamente com o psicológico, podem ser motivos para desanimar qualquer pessoa antes do trabalho. No entanto, o seu trabalho deve fornecer um sentimento positivo que o motive a enfrentar todos os outros desafios. É importante chegar no trabalho e ter a sensação de alívio e bem-estar, caso contrário, é preciso atenção.


A empresa tem investido em meu progresso?

Desafios fazem parte da vida do ser humano, e não ser estimulado a lidar com coisas novas, pode contribuir com o desânimo em permanecer na empresa. É importante avaliar se a empresa promove treinamentos e confia a você novas tarefas, que o fazem crescer profissionalmente. Mas, se ao analisar a sua situação dentro da empresa, você não consegue observar perspectivas de crescimento, pode ser que tenha chegado o momento de fazer novas escolhas.


Eu me sinto útil dentro da empresa?

Sentir-se desnecessário em um ambiente, afeta tanto sua vida profissional como pessoal. Desenvolver sentimentos de inutilidade por não conseguir entender sua importância dentro de todo o processo empresarial, pode o tornar uma pessoa apática e depressiva. Então, caso se identifique com essa situação, você tem duas opções: conversar com seu gestor e compartilhar seus sentimentos ou então, tentar outra coisa no mercado.


O ambiente de trabalho é positivo?

O ambiente está diretamente ligado às pessoas, e quando não há uma boa relação entre os membros da equipe, qualquer atividade pode se transformar em um fardo. Às vezes, passamos mais tempo em nosso trabalho com nossos colegas, do que com nossos familiares, então, esse ambiente tem a obrigação em ser saudável. Se você não consegue estabelecer uma boa comunicação, tem problemas com seu gestor ou outros colegas, mudar de empresa é uma necessidade.  


Concordo com o posicionamento da empresa?

Fazer parte de um lugar que você não concorda e que vai contra seus princípios, pode afetar seu conforto dentro dele. Por exemplo, se você é uma pessoa vegana, trabalhar em uma empresa que fabrica calçados de couro, pode tirar sua vontade em produzir. É mais inteligente abrir um negócio que, segundo a sua concepção, seja algo bom, em vez de permanecer em algo apenas pelo salário ou posição que ocupa. Sentir desconforto em realizar atividades, compromete tanto seu desenvolvimento profissional, como mercadológico da empresa.



Segunda etapa: analisar as consequências


Você tem outra fonte de renda?

Tomar a decisão de “jogar tudo pelos ares” e não medir as consequências, pode colocar sua vida financeira em estado negativo, o pressionando a aceitar desesperadamente outra oportunidade de emprego que não o fará feliz. Não se esqueça que as despesas não param após você pedir demissão. Então, caso não tenha uma outra fonte de renda ou oportunidade de emprego, que vão te ajudar a manter suas economias equilibradas, é melhor aguardar um tempo para pedir demissão.  


Como sua decisão afetará sua vida pessoal?

A vida pessoal afeta a vida profissional sim! Então, quando algo na sua vida profissional sofre alguma alteração, a parte pessoal também é afetada. Analise todas as consequências de sua decisão em sair do emprego, e entenda quais mudanças ela exigirá de seu dia a dia. Por exemplo, se você tem dependentes e plano de saúde, com a demissão, o plano será cancelado. Neste caso, se há pessoas enfermas, e não há condições em assumir um convênio por conta própria, não seja precipitado.  


Sua família e amigos concordam com você?

Devemos fazer aquilo que nos faz feliz, porque quem carrega a carga, somos nós. Entretanto, devemos sempre ser humildes e meditar nos conselhos que outros nos dão, principalmente quando essas pessoas se importam conosco, porque pode ser que estejam vendo algum ponto que você não analisou. Leve em consideração os conselhos de sua família e amigos, pois são eles que lhe darão apoio nas derrotas e vitórias de sua vida.



experimente pos gratis



E-mail já cadastrado. ×

Receba nossas novidades



Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar