E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

As 7 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

10/06/2015 Por: Vanessa Cagliari
As 7 melhores técnicas de estudo, segundo a ciência

Ir bem em provas depende de esforço próprio e algumas técnicas que, geralmente, os professores aconselham a acrescentar na rotina de estudos como resumir textos de difícil compreensão, fazer lista de tarefas e dormir bem. Mas existem maneiras de melhorar seu desempenho realizando pequenas atitudes como meditar e mascar goma de mascar. Confira a seguir, 7 dicas que a ciência comprovou que ajudam a melhorar o seu resultado nos estudos:


 
1.Praticar meditação
Praticar meditação ajuda a conseguir boas notas, segundo uma pesquisa experimental da Universidade George Mason e da Universidade de Illinois, ambas nos Estados Unidos. Foram realizados três experimentos com alunos de uma Universidade da Califórnia para descobrir se a meditação auxilia os estudantes a se concentrar melhor e fixar informações.

 
Foi feita uma seleção aleatória de alunos, e aqueles que meditaram antes de uma palestra conseguiram pontuar melhor em um quiz do que os estudantes que não meditaram. Além disso, os pesquisadores também revelaram que o efeito da meditação era mais intenso em turmas com mais alunos iniciantes na universidade. A conclusão do estudo foi que a meditação é útil para ter foco, disciplina e clareza mental, de maneira que pode ajudar em uma variedade de objetivos.




 
2.Mascar goma de mascar
De acordo uma pesquisa feita no Japão publicada na revista Brain and Cognition, mastigar goma de mascar pode impulsionar o estado de alerta e o pensamento. Segundo os pesquisadores, o tempo de reação dos mastigadores é até 10% mais rápido do que de não mastigadores. Uma teoria que explica este resultado é que mascar aumenta o estímulo e leva a melhorias no fluxo de sangue para o cérebro.

 
Outra pesquisa produzida pelo psicólogo Serge Onyper também já havia comprovado que pessoas que mascam chiclete durante 5 minutos antes de fazer uma prova conseguem melhores notas. O psicólogo afirmou que o sucesso no estudos ocorria devido à "excitação induzida pela mastigação", que durou, cerca de 20 minutos.



 
3.Beber bastante água
Um grupo de pesquisadores analisou o comportamento de 447 estudantes universitários e descobriu que os que levavam garrafas de água durante testes se saíam melhor. Segundo Chris Pawson, um dos cientistas envolvidos no estudo, o ato de levar água para as provas está ligado a notas maiores e isso pode ser explicado por uma série de razões psicológicas e fisiológicas. "Entre elas, está o efeito físico nas funções mentais. Há também a possibilidade do consumo de água aliviar a ansiedade, que é uma das principais inimigas das boas notas", explicou Pawson.



 
4.Evitar fazer tanta lição de casa
Segundo um estudo realizado na Austrália, fazer muita lição de casa, não ajuda a melhorar suas notas e, na verdade, pode diminuí-las. Para chegar ao resultado, foram analisados os resultados de várias pesquisas recentes que investigaram a relação entre o tempo gasto em lições de casa e o desempenho dos alunos.


Segundo o psicólogo educacional da Universidade de Sydney, Richard Walker, as informações revelaram que, em países onde mais tempo é dedicado às lições de casa, os estudantes apresentaram resultados inferiores em um teste chamado de Programa de Avaliação Internacional de Estudantes, PISA, na sigla em inglês. A conclusão do estudo foi que 1 ou 2 horas de lição de casa por semana são satisfatórias e não afetam os resultados das provas.




5.Aprender de forma confusa
De acordo com Sidney D'Mello, psicólogo e cientista da computação da Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, confundir os estudantes, intencionalmente, enquanto eles aprendem assuntos complicados pode fazer com que eles absorvam melhor o conteúdo e saibam aplicá-los melhor em novos problemas.

 
Por meio de vários experimentos, os participantes acompanhavam a conversa de 2 pessoas sobre pesquisas em que cometeram erros e, com o objetivo de confundir os alunos, em determinado momento, as 2 pessoas começavam a discordar e expressar ideias contraditórias. Depois, os participantes tinham que dizer qual das 2 opiniões tinha mais veracidade e, em seguida, resolver questões sobre o tema.


No final, os participantes que ficaram mais confusos, conseguiram melhores resultados nas provas e, além disso, conseguiram identificar erros com mais facilidade nas aulas seguintes. "A confusão, se for bem regulada, pode ser boa para o aprendizado porque leva o aluno a processar as informações de forma mais profunda para resolvê-la", explicou D'Mello.



 
6.Compreender melhor ciência
Alunos da Universidade de Medicina e Ciência Charles R. Drew, nos Estados Unidos, deram aula de ciência para alunos da 4ª série em um colégio de Los Angeles. As 10 aulas tiveram duração de apenas uma hora cada e foram suficientes para que as crianças conquistassem melhores notas de matemática e inglês.



Além disso, os estudantes de medicina aperfeiçoaram sua habilidades de descrever assuntos complexos, uma vez que se você consegue ensinar um aluno de 4ª série, você consegue ensinar a qualquer pessoa, segundo a conclusão da pesquisa. Os pesquisadores concluíram que as aulas de ciência serviram como "uma fagulha para acender em uma criança o desejo de aprender em todas as áreas ao longo da vida".



 
7.Fazer exercício físico
Várias pesquisas já comprovaram que fazer exercícios físicos podem levar a um melhor resultado acadêmico. Uma delas foi feita na Espanha que revelou que as garotas, mas não os meninos, que vão à escola a pé ou de bicicleta apresentaram um melhor desempenho em provas de matemática e de redação.


Um outro estudo conduzido pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, concluiu que crianças fisicamente ativas retém novas informações de forma mais eficiente do que crianças que estão fora de forma. Por fim, uma pesquisa da Universidade Estadual de Michigan (EUA) concluiu que praticar qualquer atividade física melhora as notas das crianças também. As crianças que jogavam futebol ou andavam de skate por, no mínimo, 3 vezes por semana tinham notas melhores em inglês, ciências, matemática e estudos sociais.
 
 
 

Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar