E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

As qualidades obrigatórias no currículo do CEO do futuro

29/10/2015 Por: Vanessa Cagliari

As qualidades obrigatórias no currículo do CEO do futuro

A habilidade de motivar e engajar a equipe é o principal desafio dos CEOs, conforme apontou uma pesquisa realizada pela BMI-Brazilian Management Institute em parceria com a Toledo & Associados, que produz pesquisas de mercado e opinião pública. Ao todo, foram entrevistados 100 executivos de C-level, sendo 29 diretores, 41 presidentes e 30 vice-presidentes de médias e grandes empresas do varejo, serviços e indústria, com o objetivo de identificar as principais expectativas e desafios dos líderes nas empresas.
 
 
Segundo 46% das pessoas, atualmente, o maior desafio enfrentado na função de liderança das empresas é incentivar o engajamento dos colaboradores, e motivar as equipes. Já para 21% dos CEOs, a mudança na postura dos líderes para se adaptar ao contexto de constantes mudanças é o segundo maior desafio.

 
 
Outros obstáculos citados pelos entrevistados foram a formação e sucessão de novos líderes com qualificação e treinamento contínuo (17%), sair da função operacional para se envolver na parte de gestão de pessoas (15%), manter o feedback constante e melhorar a comunicação (14%), encontrar e mobilizar novos talentos (12%), e intensificar o foco no desenvolvimento e meritocracia (3%).


 
Segundo o fundador e CEO da BMI, Daniel Motta, diante do cenário atual do mercado, os líderes devem adotar um novo modelo de gestão para engajar a equipe. "Para comandar suas equipes na crise, os líderes precisam deixar de ter um perfil "autômato", focado em controle, comando e hierarquia, e dar lugar ao líder "essencial", que atua de forma colaborativa, mobilizadora e facilitadora, inspirando seus liderados, criando relações que ajudam as pessoas a encontrarem significado e propósito nas atividades que desenvolvem", afirma Motta.


 
O estudo da BMI perguntou aos executivos entrevistados sobre quais as mudanças na sociedade atual mais têm afetado a maneira de liderar dentro das empresas.  De acordo com 47% dos profissionais, as mudanças no universo tecnológico são as que causam maior impacto, considerando fatores como computação em nuvem, big data e redes sociais possibilitando uma forte convergência digital.

 
 
Na mesma linha, 45% dos entrevistados disseram que o segundo fator de maior impacto são as mudanças no ambiente social que ocorrem devido ao envelhecimento populacional com seus desafios, ascensão das classes sociais emergentes, novas configurações familiares e redes sociais digitais. E para 26% dos executivos, o universo econômico de negócio também impacta nas lideranças devido a fatores como a hipercompetição, riscos e mercados globalmente integrados, novos eixos do capitalismo com China e Índia e urbanização.
 
 
Com informações de Revista Melhor
 
 


Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar