E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Como fazer análise de viabilidade de projetos?

20/11/2018 Por: Editorial Dom Bosco
 viabilizar projetos

Decidir iniciar projetos é uma decisão muito séria, visto que essas escolhas podem ser determinantes para o futuro das empresas. O mercado é instável e bola de cristal não existe para dizer os resultados do novo projeto, depois de algum tempo. Mas, algumas considerações, inclusive financeiras, podem contribuir para analisar se vale ou não à pena fazer o investimento. Continue lendo, e entenda como fazer a análise de viabilidade de projetos e faça escolhas mais assertivas no mercado.


A viabilidade é considerar se algo é viável, ou seja, se tem ou não capacidade de gerar resultados. Pode ser que sem fazer nenhuma análise, a ideia pareça maravilhosa e rentável no início, mas depois do levantamento quantitativo, a conclusão seja de que o projeto é um verdadeiro engodo. Muitos empreendedores acabam tendo problemas por não considerarem as projeções futuras, e o resultado é que no lugar de retorno a ação promove dívidas.


O mercado é instável, e os R$20,00 de hoje, valerão bem menos daqui a três anos, em decorrência da desvalorização do tempo. Ao viabilizar o projeto, é possível ter um entendimento mais aprofundado sobre quanto o investimento feito hoje, será desvalorizado e se esse fator, o impedirá de trazer retornos. O importante é concluir com as análises que, em pouco tempo os frutos serão superiores que os investimentos iniciais.



Exemplos de viabilização de projetos

As métricas mais utilizadas para fazer a análise dos retornos de projetos, são ROI (Return on Investiment) e Payback. Para quem deseja começar com o ROI, pode adotar a seguinte fórmula:


[ (Lucro - Investimento inicial) ∗ 100 ] ÷ Investimento inicial


Então, vamos supor que uma confeitaria comprou uma máquina pelo valor R$30.000,00. Para que esse investimento realmente tenha compensado, os donos do negócio esperam obter o retorno de 35%. Nos primeiros meses de uso, a margem de lucro gerada com a nova máquina, foi de R$60.000,00. Assim, aplicando a situação na fórmula, fica:


[ (60.000 - 30.000) *100] ÷ 30.000 = 100%


Como mostra o resultado, o retorno foi positivo e acima do valor estipulado pela confeitaria para decidir se a escolha foi boa ou não. Mas, diferente da confeitaria citada no exemplo, faça o cálculo antes de investir e não depois, tudo bem? Desta forma, você não precisará “chorar o leite” derramado se a projeção for negativa.


O payback projeta também os retornos, porém, de forma mais detalhada, aplicando a desvalorização do tempo sobre cada período. Para que seja possível construir a análise, é preciso fazer as projeções de como o caixa deverá estar depois de algum tempo. Confira a seguinte situação hipotética:


A transportadora Entrega Feliz, quer investir o valor de R$80.000,00 na compra de um novo caminhão, mas quer saber a viabilidade do investimento. Então, ela considerou que o retorno deverá acontecer no prazo máximo de 5 anos, considerando a taxa de atratividade mínima (taxa de retorno mínimo para investir) de 25%. O veículo que será adquirido têm despesas fixas anuais (seguro e impostos) de R$10.000,00. A margem de lucro esperada, é de R$65.000,00 nos primeiros meses.


Como já salientado anteriormente, os valores são desvalorizados com o tempo, e no exemplo acima, os R$65.000,00 terão um valor diferente após o prazo de 5 anos. Desta forma, os passos seguintes são:


Projeção de Fluxo de Caixa ⇒ margem de lucro - despesas fixas  ⇒ 65.000,00 - 10.000,00 = R$ 55.000,00


Para determinar a estimativa de quanto será a rotatividade do caixa nos próximos anos com o investimento, é preciso construir uma projeção de fluxo de caixa com base nas alterações do período correspondente. Assim, supondo que a empresa decida vender o veículo a R$67.000,00 no final do quinto período, o resultado será a soma dos R$55.000,00 com o valor da venda. Veja como ficaria:


Projeção de Fluxo de Caixa

Ano 1

Ano 2

Ano 3

Ano 4

Ano 5

R$ 55.000,00

R$ 55.000,00

R$ 55.000,00

R$ 55.000,00

R$ 122.000,00


No entanto, esses valores ainda não estão considerando a desvalorização do tempo. Para determinar o fluxo de caixa, é fundamental considerar o impacto que os anos terão nesses valores. A matemática financeira, considera a fórmula:
VP = VF ÷ (1+k) ^ t.


Valor presente (VP) é o valor “atualizado” das projeções no período considerado; valor futuro (VF) são os resultados dos próximos anos; taxa de retorno esperada (TMA); o tempo (t) deve sempre estar elevado já que é fator decisivo sobre a projeção. Vamos lá:


VP (ano 1) = R$55.000,00 ÷ (1+0,25) ^ 1 = R$ 44.000,00

VP (ano 2) = R$55.000,00 ÷ (1+0,25) ^ 2 = R$9.600,00


É preciso fazer a aplicação para todos os 5 períodos, mas não se esqueça que o quinto período do exemplo teve uma projeção diferente.


Fluxo de Caixa

Ano 1

Ano 2

Ano 3

Ano 4

Ano 5

R$44.000,00

R$ 35.200,00

R$ 28.160,00

R$ 22.528,00

R$ 39.976,96

Retorno Líquido

R$ 169.864,96

Valor presente Líquido (VPL)

R$ 89.864,96


O Retorno Líquido, é a somatória de todos os fluxos de caixa no tempo de análise. Para determinar quanto os valores futuros representam hoje, é preciso montar a fórmula de VPL (VP de todos períodos - valor do investimento), onde o valor deverá ser valorizado, afinal, quanto mais próximo do presente menos desvalorização.


Mas, ainda não acabou… é preciso identificar o tempo que o retorno deverá acontecer. Desta forma, começa a montagem do payback simples e descontado - o qual nada mais é que, os valores futuros trazidos para o presente.



Payback (prazos de retorno para o investimento inicial)

Ano

0

1

2

3

4

5

Fluxo de Caixa Final

-80.000,00

44.000,00

35.200,00

28.160,00

22.528,00

39.976,96

Fluxo de caixa acumulado

-80.000,00

-36.000,00

-800,00

27.360,00

49.888,00

89.864,96

Fluxo de caixa descontado

-80.000,00

35.200,00

22.528,00

14.417,92

9.227,50

13.099,33

Fluxo de caixa descontado acumulado

-80.000,00

-44.800,00

-22.272,00

-7.854,08

1.373,42

14.472,75

VPL

R$ 89.864,96

         

TIR

34%

         

Payback simples

2,028409091

         

Payback descontado


3,851160119

         

O payback simples e descontado, são a razão entre o período que o caixa passou de negativo para positivo. Para calcular os paybacks, utilizamos:


Payback Simples = período anterior ao saldo positivo  - fluxo de caixa acumulado ÷ fluxo de caixa final ao ano seguinte


Payback Simples ⇒ 2 - (-800) ÷ 28.160,00 = 2,028409091


Payback Descontado = período anterior ao saldo positivo - fluxo de caixa descontado acumulado ÷ fluxo descontado do ano seguinte


Payback Descontado ⇒ 3 - (-7.854,08) ÷ 9.227,50 = 3,851160119


Lembra que a taxa de atratividade mínima (TMA) estabelecida era de 25%? Com um TIR (Taxa Interna de Retorno) de 36%, o investimento da transportadora Entrega Feliz é viável, porque ficou acima do esperado. Se o valor fosse negativo, o investimento não seria viável.


Os exemplos apresentaram a importância de viabilizar projetos antes de começar a organizar os investimentos. Estes conceitos são muito utilizados em gestão de projetos e em finanças.


Há outras formas de tornar a viabilização dos projetos mais realista, como aplicar fatores do cenário político-legal e determinar os hábitos de consumo dos públicos, considerando os impactos sobre o negócio.  Portanto, não tome uma decisão sem antes fazer essas projeções.



pos gratis

E-mail já cadastrado. ×

Receba nossas novidades



Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar