E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Como Gerenciar a Inovação na Empresa Para o Desenvolvimento de Novos Produtos

03/12/2014 Por: Editorial Dom Bosco
Por Valdinei José Saugo


 
Desenvolvimento e inovação são palavras muito comuns no dia-a-dia das empresas, escolas, universidades, governos ou até em rodas de conversas informais entre amigos. Mas afinal do que estamos falando? De acordo com o dicionário Michaelis, desenvolvimento significa: Ato ou efeito de desenvolver; Crescimento ou expansão gradual; Passagem de um estádio inferior para um estádio mais aperfeiçoado (MICHAELIS 2014), e inovação: Ato ou efeito de inovar; Coisa introduzida de novo; Renovação (MICHAELIS 2014), entretanto, o contexto no qual estamos inseridos e desenvolvendo nossas atividades diárias, o significado das palavras desenvolvimento e inovação vão além do seu conjunto de definições.

De maneira simplificada, inovação é considerada a prática de explorar novas ideias de forma correta (POSSOLLI, 2012). Diante disso, a ideia de algo ser ou não bem sucedido, depende do objetivo e dos sujeitos ou organizações envolvidas. Uma inovação pertinente em determinada empresa privada, por exemplo, pode se referir ao incremento do faturamento, ao crescimento da margem de lucro, à abertura de novos mercados, ao lançamento de novos produtos os serviços, entre outras vantagens (POSSOLLI, 2012)

Muito se discute que não há desenvolvimento sem inovação, ou até mesmo o contrário, não pode existir inovação sem desenvolvimento. O ponto central é que os dois andam juntos, são complementares e criam um ambiente de muitos experimentos e estudos sobre melhorias de processos, criação de tecnologias, produtos e serviços para a sociedade em todas as suas escalas.

O mundo corporativo é um lugar de muita concorrência e a crescente demanda da população mundial por bens e serviços, força as empresas a buscarem soluções a atender as requisições dos mais diversos gostos e aí os conceitos de inovação e desenvolvimento são colocados à prova. Como satisfazer ao crescente desejo das pessoas num mundo onde temos a sensação que tudo que já foi inventado?

A inovação é um processo interessante, não está simplesmente relacionado à 'invenção' de novos produtos, mundo afora existem milhares de inventores que a cada dia patenteiam novos produtos, muito destes chegam ao mercado, outros não passam apenas de ideias e não se concretizam, mas inovação, atualmente, tem muita ligação com melhoria e aperfeiçoamento de produtos e serviços já existentes. O processo de inovação, normalmente, inicia-se da necessidade em reduzir custos, da concorrência entre empresas ou insatisfação e reclamação das pessoas quando se sentem prejudicadas por algum produto ou serviço.

As pessoas estão cada vez mais exigentes e com a recente evolução das novas ferramentas tecnológicas de internet e comunicação, fica muito mais fácil acessar informações e tomar decisões na hora de comprar um produto ou determinado serviço. Todo este ambiente cria um modelo de comunicação, no qual, as empresas conseguem identificar melhor as necessidades de seus clientes e oferecer serviços e produtos que realmente lhes agradem e tragam benefícios. Para inovar é preciso observar e ouvir, as empresas precisam ser boas ouvintes de seus clientes e observar com atenção o mercado.

Para inovar, apenas observar e ouvir não é o suficiente é preciso que as empresas invistam em conhecimento, mas onde é possível as empresas buscarem por conhecimento e se manterem atualizadas?

De começo, as empresas precisam entender melhor o conceito de inovação e levar o tema para discussão dentro dos seus departamentos e criar um ambiente para o assunto ser tratado no dia-a-dia, é importante setores estratégicos de uma empresa estarem alinhados com o objetivo da mesma e buscarem sempre por melhorias nos processos e desenvolvimento de produtos. Como o tema inovação teve com um enfoque intenso nos últimos anos, muitas empresas ainda estão em fase de adaptação e buscando entender melhor seus clientes e aperfeiçoar produtos e serviços.

Para que as organizações consigam efetivamente implantar a inovação em todos os seus setores e áreas é preciso chegar a um consenso em relação ao próprio conceito de inovação. O Fórum de Inovação da FGV-EAESP (Fundação Getúlio Vargas – Escola de Administração de Empresas de São Paulo), que estuda as organizações inovadoras e a inovação nas organizações há mais de dez anos, define inovação como a união da ideia com a ação que gera resultado, sendo que os resultados devem ser positivos para fundadores, investidores e demais partes interessadas. De acordo com este conceito, não existem inovações mal sucedidas; as tentativas de mudança, que não atingem os resultados esperados, não podem ser consideradas inovações, são apenas boas intenções (VASCONCELLOS 2014).

Em algumas empresas com mais recursos para investimentos possuem seu setor próprio de inovação e estão num nível mais maduro em relação às práticas de inovação, mesmo assim, é possível ser inovador independente de tamanho e quanto se tem para investir, neste ponto, o planejamento estratégico é peça chave para uma empresa começar a praticar inovação. Para que a organização obtenha sucesso neste processo é fundamental a criação de condições para gerar um fluxo contínuo de produção de inovações. Obviamente a empresa que proporciona um melhor ambiente e sistematiza seus processos terá mais sucesso com o conceito de inovação.

Para uma empresa ser inovadora e gerenciar o processo de inovação é preciso investimento em pesquisa e desenvolvimento, atualmente existem diversas formas para se  desenvolver um ambiente adequado de pesquisa, desenvolvimento e inovação, pode ser um convênio com instituições de ensino e buscar profissionais e estudantes do tema que auxiliem no desenvolvimento de novos produtos, centros de tecnologia e inovação podem ser contratados para consultorias e trabalhos de pesquisa terceirizados, mas o essencial é a empresa criar condições no seu dia-a-dia que estimulem seus colaboradores a pensarem de forma inovadora, seja realizando tarefas usando menos recursos, seja trabalhando de forma colaborativa.

Quando a empresa estabelecer um canal de comunicação e um ambiente no qual as pessoas consigam ter espaço para colaborar umas com as outras, e implantar metodologias de gerenciamento e planejamento, a inovação tem espaço garantido para se desenvolver internamente, o reflexo de tudo isso será em melhores produtos e serviços que agreguem valor aos clientes proporcionando assim resultados para ambos os lados.



 
Valdinei Saugo
Valdinei Saugo

Empreendedor de Tecnologia desde 2007, experiência comprovada com mais de 10 anos em projetos de software e hardware para pesagem industrial.  Bacharel em Sistema da Informação e Especialista em Engenharia de Software e Sistemas Embarcados, com sólida experiência em treinamentos de usuários, consultoria, projetos de automação tecnológica, análise e desenvolvimento de sistemas. Atualmente focado no desenvolvimento de soluções de software e hardware para automação residencial (domótica), eficiência energética, smart cities(cidades inteligentes) e metrologia industrial. Atua também como professor de linguagem de programação java e dispositivos móveis em cursos superiores de TI.
 
 
Referências
MICHAELIS 2014. Disponível em: Acesso em: 25 nov 2014.
POSSOLLI, Gabriela E. Gestão da Inovação e do Conhecimento. Vol 2. Curitiba: Intersaberes, 2012.
VASCONCELLOS, Marcos A. de. Gestão de Inovação nas Organizações. Disponível em: Acesso em 26 nov 2014.


Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar