E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Corrida ajuda a melhorar a memória e o raciocínio

25/05/2016 Por: Editorial Dom Bosco

Corrida ajuda a melhorar a memória e o raciocínio

Praticar exercícios físicos oferece diversos benefícios à saúde, mas você sabia que correr auxilia na melhora da memória e do raciocínio? Segundo uma pesquisa da Universidade do Texas (Estados Unidos), publicada no jornal Medicine & Science in Sports & Exercise, quem deseja ter boa memória e melhorar o sistema cognitivo precisa correr.

 
 
O estudo revelou que exercícios de longa duração ajudam a trabalhar o sistema cognitivo mesmo durante o envelhecimento. Para chegar à conclusão, os pesquisadores contaram com a participação de 59 adultos, com idades entre 43 e 65 anos, divididos em dois grupos: 32 pessoas em "endurance" (que faziam atividades de longa duração) e 27 indivíduos em "sedentários".

 
 
O grupo que praticava a atividade dedicava, em média, sete horas de sua semana para treinar, enquanto os sedentários passavam menos de uma hora. Depois os participantes passaram por testes na esteira para medir a capacidade cardiorrespiratória, ultrassom para avaliar a velocidade da fluidez do sangue e exercícios cognitivos para testar a atenção e a memória.

 
 
No geral, as pessoas do grupo "endurance" obtiveram resultados melhores nos exames de memória, além de apresentarem ainda melhor saúde cardiovascular. Isso é a relação entre a boa forma física e a melhor capacidade de raciocínio, de acordo com os especialistas. Ou seja, o sangue chega com mais facilidade ao cérebro, fazendo-o trabalhar melhor.

 
 
Uma outra pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Kentucky (Estados Unidos) comprovou que quem pratica alguma atividade física com frequência tem um cérebro maior, memória potencializada e raciocínio mais rápido. Para o estudo, os cientistas avaliaram 30 voluntários com idades entre 59 e 69 anos. Os participantes foram orientados a andar ou correr em uma esteira, enquanto o fluxo sanguíneo era mensurado. Foi observada uma relação positiva entre a aptidão cardiorrespiratória e fluxo sanguíneo cerebral, segundo os pesquisadores.


 
"Por outro lado, os voluntários com pouca função cardíaca apresentaram volumes cerebrais menores, menos memória e pior desempenho cognitivo", explicam. Foi comprovado que correr ajuda a proteger o cérebro do envelhecimento, além de substituir as células mortas, melhorando a memória e o raciocínio.

 
 
> Saiba mais: Dicas da neurociência para melhorar a concentração e estimular a criatividade.
 
 


Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar