E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Empreendedor: dicas para controlar os gastos com impostos

21/01/2015 Por: Editorial Dom Bosco
Empreendedorismo

Com o aumento de impostos, desvalorização cambial e inflação no limite, a expectativa para a economia do Brasil é bastante negativa nesse primeiro trimestre de 2015 comparada com o último trimestre de 2014, segundo Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN), feito pelo Insper.


 
Os empreendedores das pequenas e medias empresas esperam faturar e investir menos em 2015, devido à falta de suporte financeiro para sofrer por mais tempo, ao contrário das grandes empresas que conseguem passar por dificuldade um ano e sobreviver.


 
Porém, algumas medidas podem ser adotadas para seu empreendimento sobreviver ao ano de 2015. Confira:
 
Projete os resultados

Primeiramente, trace estratégias para as finanças. Analise os dados históricos dos últimos dois anos e faça uma planilha de controle de despesas, custos, preços, projeções e resultados para esse ano.


 
Ajuste as despesas

A segunda estratégia é ajustar as contas.  Faça uma adequação as despesas a uma nova receita, quanto maior os controles financeiros, mais rápido você toma essa decisão. É comum os empresários errarem nesse ponto por desconhecimento e demorarem a fazer ajustes. Como consequência, você pode acabar contraindo muitas dívidas. O fluxo de caixa é uma ótima ferramenta na hora de fazer estes ajustes.
 
 
 
Comece o Orçamento Base Zero

Outra estratégia eficiente para momentos como este é o Orçamento Base Zero. Divida as saídas de caixa em 3 categorias. O primeiro grupo é o das saídas vitais, associadas à operação. O segundo é das despesas que garantem a vantagem competitiva do negócio. O terceiro grupo são as despesas supérfluos.

 Os gastos vitais devem ser mantidos, mas é bom tentar reduzir. Na categoria das despesas, se a empresa tiver alguma flexibilidade, folga de caixa, pode valer a pena inovar. Se não, reduza. E os gastos supérfluos são os que devem ser cortados direto.
 
Com informações de Exame
 
 
 

Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar