E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Maioria dos brasileiros pretende mudar de emprego

08/10/2015 Por: Vanessa Cagliari
Maioria dos brasileiros pretende mudar de emprego

Apesar do mercado de trabalho brasileiro estar mais contido e com aumento constante da taxa de desemprego, uma pesquisa produzida pela empresa de recrutamento Michael Page apontou que 74% dos profissionais brasileiros têm a intenção de mudar de emprego. Este dado é muito importante, uma vez que revela que muitos profissionais ainda pretendem movimentar sua carreira, apesar do cenário menos promissor.


 
Atualmente, 46% dos profissionais da área de gestão de pessoas apontam a retenção como um dos principais problemas nas empresas, conforme afirma a pesquisa da Michael Page, que entrevistou 600 gestores de recursos humanos e 1000 profissionais. "Muitos imaginam que, com a crise, as pessoas optariam por se manter em seus empregos e garantir a estabilidade. Essa não é a realidade do profissional de hoje", destacou Viviane Prado, autora da pesquisa e gerente na consultoria.


 
Boa parte deste resultado decorre da nova geração de profissionais que não trabalham apenas por altos salários e benefícios, assim como seus pais faziam. Estes profissionais buscam realização profissional e estudam mais, porque acreditam que gostar de seu trabalho é fundamental. A pesquisa da Michael Page revelou ainda que os principais motivos para que profissionais queiram mudar de emprego são: busca de maior qualidade de vida e crescimento profissional.


 
 
A população do Brasil fica cada vez mais madura e a expectativa de vida dos brasileiros aumentou mais de 25 anos em 50 anos, isto é, as pessoas viverão mais e trabalharão na mesma proporção. Por conta disso, é cada vez mais importante que uma pessoa se sinta satisfeita com sua carreira, uma vez que o seu período de trabalho aumentou e o mercado de trabalho exige cada vez mais.



 
Além do levantamento da Michael Page, o LinkedIn também constatou que 77% dos profissionais registrados na rede social são considerados migrantes passivos, ou seja, não estão à procura de um emprego, porém aceitam encarar novos desafios ao receberem propostas atraentes. Conforme destacou Domingos Zuccherelli, gerente regional de vendas do LinkedIn, atualmente, vivemos na época da sociabilização e da troca de conhecimento, cenário no qual as interações são rápidas e móveis.
 
Com informações de CDN Comunicação
 

Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar