E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Marketing Digital: Entenda o que é Neuromarketing

25/09/2018 Por: Editorial Dom Bosco
 

A união do Marketing com a Neurociência resultou  na compreensão do comportamento do consumidor

neuromarketing

Pode parecer que todas as escolhas no momento da compra são racionais, mas até mesmo a mais justificada dessas, tem o apelo emocional. Determinados comportamentos podem incentivar ou desincentivar uma compra, e a junção da ciência com o marketing dão insumos para que ações mais efetivas sejam desenvolvidas. O neuromarketing une ambas competências, e entender como seu conceito afeta o marketing digital, é fundamental para guiar as atividades.


A forma como os seres humanos agem, pode ser explicado pela neurociência (ciência do cérebro), que procura traçar as reações cerebrais provocadas por determinados estímulos. Já o marketing, é a ciência que busca estimular desejos e atender necessidades humanas. Quando o marketing e a neurociência se fundem, é possível compreender de forma racional como o consumidor se comporta, e adotar atividades inteligentes para que as ações possam gerar maior retorno. Ao lidar com o marketing digital, considerar as estratégias do neuromarketing, faz com que as campanhas tenham um apelo mais emocional, e provoque reações mais positivas.  



Palavrinha-mágica

As expressões são como gatilho para motivar decisões, principalmente, quando o assunto é sobre comunicação. Saber como produzir determinado post pode aproximar ou espantar seu cliente.


Gatilhos mentais são excelentes para fazer alguém optar por fechar negócio com sua empresa, e acredite, você já foi atingido diversas vezes por essas palavrinhas-mágicas. Confira:


Prova social - dizer ou publicar fotos onde várias pessoas estão comprando Y produto, motiva outros a também desejarem comprar;


Escassez - ouvir que um produto que se tem interesse em adquirir está acabando ou que é o último, pode fazer as pessoas juntarem economias apenas para não ficarem sem o bem;


Urgência - semelhante a escassez, campanhas que anunciam promoções alarmantes tendem a ter sucesso, visto levarem os consumidores a acreditar que não terão outra oportunidade em comprar;


Exclusividade - diversas pessoas se dispõe a pagar valores exorbitantes para ter algo vendido como ‘limitado’ ou ‘único’, e esta é uma estratégia muito empregada pelo mercado para impulsionar as vendas.



Cores do consumismo

As cores possuem uma influência significativa na tomada de decisões, e não é para menos que tantas superstições existam em torno do tema. O ser humano é extremamente ligado a visão, e as imagens mexem diretamente com as emoções.


O vermelho e azul, por exemplo, são cores que promovem sentimentos opostos. Estudos comprovam que o vermelho aumenta a pulsação cardiovascular, o que promove um sentimento mais ‘enérgico’. Então, optar por essa cor em clínicas, não seria tão indicado. Da mesma maneira, investir em postagem com artes que possuem uma paleta de cores respectivas ao sentimento que deseja despertar é aconselhado, por isso, é importante entender como cada cor afeta o emocional dos seres humanos.



Clientes interessados vão atrás

Uma forma inteligente de agregar valor a sua marca para o consumidor, e engaja-lo de forma digital, é por entender em qual o processo ele está. Como assim? O inbound marketing, traça características que indicam os comportamentos que a empresa deve desempenhar para fazer com que o cliente a procure, diferente do outbound marketing, onde é oposto que ocorre.


O inbound marketing nada mais é do que o marketing de atração, então, suas técnicas visam atrair clientes. Para compreender essa estratégia, é necessário gravar quatro pilares: atrair; relacionar; converter; vender. Vejamos o que fazer em cada etapa:


Atrair - nesta etapa, você precisa chamar a atenção de seu público, isso pode ocorrer através de um anúncio atrativo e interessante;


Relacionar - depois de conseguir a atenção do target, é importante ‘manter’, e isso deve ser conseguido através de um conteúdo cativante, e quem possui blogs pode apostar nesse ferramenta;


Converter - embora muitos pensem que converter é apenas realizar uma venda, este estágio se refere a qualquer ação interessante realizada por parte do usuário, e que permitam que você mantenha contato, como um cadastro de newsletter, o que o torna um lead;


Vender - e por último, mas não menos importante, o fundo do funil de vendas representa o momento em que o potencial cliente está pronto para comprar.


Saber identificar e trabalhar cada um dos estágios citados, fará com que suas campanhas digitais sejam mais atrativas e tragam resultados melhores. Por não saber como trabalhar e educar um potencial cliente, muitas empresas perdem chances importantes.


O neuromarketing é fundamental, e quando unidas as demais estratégias de marketing, os resultados surpreendem. É através da compreensão do comportamento do consumidor que não apenas vender se torna possível, como também fidelizar torna-se algo acessível.

Profissionalizar-se no marketing digital desenvolve atividades mais inteligentes no meio digital, e introduzir o neuromarketing nestas ações, contribui para a atração de mais clientes, concernentes ao público desejado. Não deixe de estudar, e se ainda não aderiu as técnicas citadas no artigo em seu negócio, adapte-as o quanto antes para alcançar seus objetivos.  



pós em marketing




E-mail já cadastrado. ×

Receba nossas novidades



Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar