E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Quer ser um profissional do futuro? Saiba o que fazer para ser cobiçado pelas organizações

09/02/2015 Por: Vanessa Cagliari
Inteligência emocional nas organizações


 
Cada vez mais as organizações estão percebendo a importância de criar um clima organizacional agradável e adequado a desenvolver a inteligência emocional de seus colaboradores.

 
A inteligência emocional para o mundo corporativo é a capacidade de uma pessoa reconhecer o próprio "estado de espírito", sentimentos e pensamentos atrelados a uma capacidade de lidar com eles de maneira consciente e produtiva afirma Tania R. Sanchess, Coach e Consultora de Recursos Humanos da Imago Capacitação.

 
Segundo a especialista, o indivíduo que possui inteligência emocional tem a capacidade de se colocar no lugar do colega para entender o que ele está sentindo com relação a determinada situação e, com isto, lidar com a mesma de maneira mais produtiva, sem conflitos ou confrontos. "Para as organizações, é muito saudável ter pessoas que conseguem se controlar diante das situações adversas e de pressão que existem dentro do ambiente organizacional, além de terem condições de lidar com elas e trabalhar isto no outro", destaca Tania.

 
De acordo com o estudo do psicólogo Daniel Goleman, autor do livro "A Inteligência Emocional", 90% da diferença entre os profissionais que obtêm grande sucesso pessoal e profissional, e aquelas com desempenho apenas mediano, se deve a fatores relacionados a competências comportamentais, mais do que às habilidades aprendidas. Tania destaca: "Segundo Goleman, a Inteligência Emocional possui 5 componentes principais que são a autoconsciência, autorregulação, motivação, habilidades sociais e empatia. Se a pessoa se permite a uma reflexão sobre seu comportamento, sentimentos, pensamentos e ações perceberá que pode ser forte em algumas destas áreas e deficitária em outras", afirma.

 
 
O autoconhecimento é o principal fator para desenvolver inteligência emocional, portanto, é necessário identificar suas qualidades e fraquezas. Em seguida, deve-se transformar em hábito aqueles comportamentos que precisam ser melhorados, aconselha Fernanda Rocha, Psicóloga e Headhunter. "Se a pessoa é tímida e tem dificuldades para fazer amizades, deve tentar relacionar-se com as pessoas de forma mais tranquila, até que isso não seja mais sinônimo de sofrimento. Treinando até que o comportamento torne-se espontâneo. Dessa forma, os pontos fracos vão sendo extintos ou minimizados", descreve.

 
Os bons profissionais que possuem inteligência emocional possuem boa habilidade social e ótimos relacionamentos interpessoais, positivos, produtivos e eficazes, porque elas se interessam verdadeiramente pelos outros. "As pessoas com Inteligência Emocional desenvolvida, normalmente, são auto confiantes, flexíveis, adaptam-se mais facilmente às diversas situações, lidam melhor com os colegas e mantêm o foco em suas metas pessoais. Além disso, são humildes, resilientes, respeitam o espaço do outro e são gentis", afirma Fernanda.

 
Segundo Cinthia Lilli, psicóloga Clínica Organizacional, no ambiente profissional, é comum passar por situações que podem causar desconforto, desde comentários desnecessários entre colegas, até mesmo variações de humor. "Para conseguirmos excelência em nossas atividades, as emoções não podem afetar nossas decisões e nossas relações. Essas habilidades tornam- se essenciais em especial em cargos de liderança, pois quando um líder consegue despertar o melhor de sua equipe, gera- se maior comprometimento, motivação e resultados", afirma Cinthia. De acordo com a especialista, entre as estratégias que podem ser utilizadas para desenvolver Inteligência Emocional estão:

 
- Observar quais situações desencadeiam determinadas emoções e buscar entender o motivo.
- Controlar suas emoções, respirar fundo e pensar bem antes de falar, especialmente quando estiver irritado.
- Pensar e analisar antes de tomar decisões, levando em consideração as consequências de cada escolha.
- Respeitar-se, respeite suas limitações e busque estratégias para desenvolvê- las.
- Aceite que as pessoas são diferentes, respeite o tempo de cada um.
- Peça e aceite Feedbacks, aceite opiniões diferentes e busque sua melhoria continua.
- Interaja, não tenha medo de perguntar, você pode deixar passar uma oportunidade por medo de agir.
- Quando alguém vier falar com você, se foque nele, dê atenção e respeite seu modo de pensar. Sugira de forma educada caso discorde.
- Observe mais, perceba como as pessoas interagem, como são e como lidam com suas próprias emoções.
- Compartilhe suas opiniões e suas decisões, desta forma, você encontrará parceria e maior compreensão.
- Agradeça, peça desculpas, perdoe e entenda que o erro é importante para o desenvolvimento de todos.
 

Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar