E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Inteligência Emocional é essencial para o novo profissional

23/05/2019 Por: Editorial Dom Bosco

Inteligência Emocional
Se você gosta, assim como nós, de assuntos sobre o mercado, deve ter notado como tem se tornado cada vez mais comum encontrar cursos e treinamentos voltados a
competências humanas - ousaria até em dizer que com mais frequência que aqueles destinados a itens técnicos. Dentre os temas de destaque, temos a Inteligência Emocional, a qual é premissa para desenvolver todas as outras.


Então, se você achou um exagero o título do artigo, dizendo que a Inteligência Emocional é essencial para o novo profissional (o profissional do futuro), saiba que essa é a mais pura verdade. Se ainda não entendeu tão bem os motivos por trás do investimento em tal competência, basta pensar naquele seu colega que é extremamente experiente, sabe todas as ferramentas, porém, é uma pessoa difícil de lidar.


Além da Inteligência Emocional ser peça fundamental para a construção de bons relacionamentos, essa é uma característica que não deve faltar nos líderes - nos bons, pelo menos. Conforme o Fórum Econômico Mundial, dentre algumas das  habilidades que serão indispensáveis para obter sucesso no mercado nos próximos anos temos a Gestão de Pessoas, Criatividade e a bendita Inteligência Emocional. Ainda, vale destacar que na pesquisa de 2015 essa competência nem era citada; mas, nas projeções atuais tem sido considerada de extrema importância.


Isso prova o interesse das corporações em contratar pessoas e não robôs, que não possuem habilidades em lidar com outros, mas que só conseguem executar atividades. Aliás, saber lidar com outros é um dos pilares que precisa ser respeitado para que a Inteligência Emocional seja desenvolvida.


Contudo, é impossível falar sobre Inteligência Emocional, sem considerar as observações do Pai da Inteligência Emocional, o psicólogo e propagador do conceito, Daniel Goleman. Portanto, nada melhor do que levar em consideração a opinião deste especialista sobre o assunto e entender a forma correta para desenvolver essa habilidade.



Inteligência Emocional para Daniel Goleman

Inteligência Emocional 2


De forma bruta, a Inteligência Emocional é a inteligência que um indivíduo tem perante suas emoções; logo, isso significa que ele não só consegue compreender esses sentimentos, como também tem mais êxito em controlá-los. Assim, pessoas que são inteligentes emocionalmente não se ofendem com facilidade e tão pouco desistem dos objetivos apenas por ficarem chateadas com algo.


Trabalhar com colegas que possuem esse fator comportamental evita conflitos e permite que uma relação saudável seja desenvolvida dentro da equipe. Especialmente dentro das empresas, onde o clima costuma ser tenso por altas demandas e curto prazo de entrega, é normal que conflitos surjam e a necessidade de profissionais inteligentes emocionalmente se torna uma realidade.


Para aqueles que ocupam cargos de liderança ou que almejam tais posições, entender as próprias emoções representa a habilidade em discernir o que outros estão sentindo e, desta forma, conseguir trabalhar com tais informações. Então, ao passo que nossos próprios sentimentos são esclarecidos para nós, mais empático nos tornamos em nossos tratos com outros.


Para Daniel Goleman, para que a Inteligência Emocional aconteça, a pessoa precisa dar atenção às seguintes habilidades: autoconsciência; autocontrole; motivação; empatia; sociabilidade. Vamos conhecer cada uma dessas mais de perto?


Autoconsciência

Como seria possível compreender seus sentimentos se você não entende o que está sentindo e tão pouco o que cada uma dessas emoções representa? Por isso, a auto-reflexão e a observação de momentos que são gatilhos para estimular tais sensações é o primeiro exercício para melhorar a inteligência das emoções.


Portanto, vale pensar mais antes de agir para entender o que está acontecendo em seu interior. Observar como outros reagem para obter exemplos positivos ou negativos é um bom começo em busca da excelência emocional. Autoconsciência não significa se fechar para si com objetivo de compreender as emoções; essa representa a capacidade de expandir a mente em busca de respostas e soluções.


Autocontrole

Inteligência Emocional não está nada atrelada a pessoas desequilibradas, que quando expostas a situações de ameaça saem agindo impulsivamente. A pessoa que “perde a cabeça” facilmente, não demonstra dificuldade em lidar com as emoções alheias e sim, a dificuldade em lidar com as próprias emoções.


Então, para quem deseja compreender e lidar com as emoções, o segundo passo é conseguir respirar fundo antes sair abrindo a boca de maneira irresponsável. Pense em como seria (é) difícil lidar com líderes que não são pacientes e flexíveis; solucionar problemas e identificar oportunidades com pessoas assim, é bastante sofrido. Portanto, controle suas emoções e ações.


Motivação

Poderíamos trocar o tema deste subtópico por ‘Pensamento Positivo’, pois se tem uma coisa que é fundamental para manter a energia elevada, é encarar as circunstâncias de modo positivo, independente da situação. Problemas são fatos no dia-a-dia de qualquer ser mortal, mas tratá-los como desafios a serem superados, é traço daqueles que possuem inteligência emocional.


Quando alguém se deixa abater pelo aborrecimento, ansiedade e desânimo, o fracasso não demora a chegar. Conhecer os seus sentimentos e o dos outros colaboradores que trabalham com você, vai fortalecer suas estratégias em como lidar com sentimentos que podem atrapalhar suas chances de sucesso. A motivação representa a fé de que a mente aberta e a determinação, são a chave para vencer obstáculos que possam surgir.


Empatia

Pessoas empáticas conseguem formar relacionamentos mais duradouros e saudáveis, seja em seus tratos profissionais ou pessoais, onde lidam com família e amigos. Isso não é nenhuma novidade, ao passo que ser empático é entender as emoções de outros, nos colocando em seus lugares; é o famoso “trate outros como gostaria de ser tratado”.


Mas, só é possível entender como outros se sentem quando pensamos em como nos sentimos. Por exemplo, uma pessoa que não reflete em como se sentiu mal quando passou vergonha, tem dificuldades em entender que brincadeiras ácidas sobre outros pode despertar sentimentos negativos - mesmo causando risos. Então, refletir sobre nossa experiência e em como nos sentimos frente às situações, vai nos ajudar a tomar decisões mais sábias e aprender com as pessoas que estão à nossa volta.  

Sociabilidade

Até aqui, acredito que ficou bastante nítida a importância de outras pessoas para que a Inteligência Emocional seja melhor desenvolvida; desta forma, aqueles que são pouco sociáveis, sem dúvida, possuem mais dificuldades em desenvolver essa competência tão importante para o novo profissional que as empresas estão buscando assiduamente.


Por mais que as relações sociais possam ser estressantes, são elas que nos fazem aprender e crescer. Portanto, não menospreze a oportunidade de criar laços e se conectar com as mais diferentes personalidades que compõem os seres humanos. Aprenda com essas diferenças comportamentais e desenvolva sua flexibilidade ao lidar com quem parece ser tão diferente de você - o mercado é repleto de pessoas que não possuem nada em comum, mas que unem essas diferenças para formar diferenciais estratégicos.


Acreditamos que agora você está pronto para melhorar a sua Inteligência Emocional e receber o título de profissional do futuro. Não deixe de conferir nossos cursos de Gestão de Pessoas, focados em desenvolver habilidades como a que você acabou de ver aqui.  


E-mail já cadastrado. ×

Receba nossas novidades



Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

x
Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar